Excessão ou exceção? - Português na Rede

Excessão ou exceção?

Escreve-se “exceção”, com “ç” iniciando a última sílaba.

Compre o novo livro de Laércio Lutibergue AQUI.


52 comentários:

rose disse...

meu professor DA FACULDADE DE DIREITO escreve com dois "s".. assim.... excessão......kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... BURROOOOOO....KKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

Muito embora sejam dados à fala empolada, os profissionais de direito são normalmente, bem mal letrados.

Emunah disse...

Então realmente ele é uma exceção! kkkkkkkkk

Pasquale Cipro Neto disse...

Mas, por acaso, existe excessão? Seria um excesso grande? ^^

Edmundo disse...

Rose, dê um toque nele ao invés de ficar chamando de burro. O que acha?

Riad disse...

você, como exceção inteligente e educada, está correta Rose. É assim que se faz.

Riad disse...

cometi um engano,na verdade o comentário correto é o de Edmundo.

Morena disse...

Concordo com "Anonimo", os profissionais do "Direito" são realmente "mal" letrados, e poe "mal" nisso, vemos cada deturpação na grafia das palavras que dá vontade de bater!!!

manuella disse...

Até "PROFESSORES" erram, amiguinha :)

Joao disse...

Realmente, devemos crucificar e rir da face dos ignorantes que ousam escrever tal palavra equivocadamente.
Afinal de que adianta tudo que um professor aprendeu na vida se ele erra palavras tão fáceis e óbvias de serem escritas não é?
Qualquer criança de ensino fundamental sabe quando utilizar o "ç" ou os dois "s". Pfff, muito me espanta que a língua portuguesa, uma das mais fáceis do mundo, seja lida e escrita de formas erradas em um país cujo índice de alfabetização é 101%, onde a educação em si é supervalorizada, e onde o ensino particular é tão bom quanto o público.
Báh! Totalmente inaceitável, bem como os profissionais do direito escrevendo erroneamente, afinal eles acima de tudo deveriam saber escrever, todos estudaram nas excelentes faculdades federais, e saberiam sim, se não perdessem tempo tentando solucionar os problemas dos outros, ou estarem planejando passar na OAB só para poderem estar acima da lei e envolverem-se em todos os tipos de atividades iníquas que a obscuridade da mente humana pode desenvolver.
Onde já se viu, um professor que ganha tão bem para ensinar errar uma palavra, que vergonha, ele que apenas se dedica a dar aulas, que nem precisa fazer mais nada na vida pois seu salário de mestre é pleno o suficiente para alimentar sua família, nem tem preocupações, ele só dá aulas para alguns poucos alunos bem comportados que só se dedicam a aprender Direito direito.
Realmente, riam dos ignorantes por não saberem, e encontrem os culpados antes das soluções, e julguem antes de ouvirem as histórias da vida de cada um, pois é assim que podemos viver virtuosamente, rindo e culpando, generalizando e condenando a todos que cometem erros em suas vidas.
Pois errar regras gramaticais tão engenhosamente elaboradas, bem como as novas regras da língua portuguesa foram no decorrer de 2009, é algo absurdo e ilógico, pois são perfeitas e óbvias.
Afinal errar é humano, e nos tempos atuais ser humano não é mais tido como elogio, devemos nos tornar máquinas perfeitas, verdadeiros computadores.
Agora vamos tentar saber quem foi o culpado de criar a trema, já que ela nunca deveria ter estado em cima daqueles u's.
(Me desculpem, mas qualquer indício de ofensividade e sarcasmo não o foram mera coincidência ou sem intenção)

Medicina Fetal disse...

Também tenho essa dúvida kkkk mas o certo é exceção (exceto).

Advogado disse...

Concordo com o João. Generalização sem base é o dom dos preguiçosos e ignorantes.

Willian Ferreira- Corretor de Seguros- Susep 151584848454/ Mercadólogo disse...

Eu tava com essa dúvida e fico grato pelo esclarecimento.
Quando eu estava na faculdade, meu professor fez um material de estudo pra nós, bem tosco, desses que se imprime do wikipédia e altera só a formatação pra enganar o professor, aí incluiu alguns comentários próprios, sendo que entre eles, colocou empresa, com "z", isso foi motivo de gozação o curso todo, porque ele não sabia que estava errado, porque fez a mesma coisa outras vezes, vai entender... rs

Anônimo disse...

Querido João, em qual colégio você estudou para aprender que a Língua Portuguesa é a mais fácil do mundo, você deve ter sonhado não é querido! Pois fique sabendo que essa língua que você diz ser tão fácil (Português) é considerada uma das mais difíceis no mundo todo. Querido não classifique todos os profissionais do DIREITO, pois até onde eu li foi "o professor" de direito da colega não os professores. Ahh saiba que nossa função é ganhar tempo tentando solucionar os problemas dos outros, você não aprendeu que Direito é uma ciência na qual nós profissionais lutamos para fazer justiça para o próximo se não leu ainda é tempo.

mauricio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mauricio disse...

Anônimo vc teve um pequeno equívoco ao ler o comentário do prezado Sr.João. Ele de uma forma muito inteligente disse que não devemos criticar as pessoas sem saber a história de cada uma, afinal, nosso idioma é um dos mais dificeis, sem falar na falta de ensino que temos em nosso país. Abraço a todos e parabéns João, adorei seu comentário.

Anônimo disse...

Realmente me equivoquei, ñ compreendi a primeira vista, mas ao reler percebi que era um comentário sarcástico.
Mil desculpas!!!!

Marina disse...

Lendo ao comentário do Sr. João, vi que não deixa de ter suas razões. Concordo que temos um ensino deficiente desde sua base. Nossa língua realmente é uma das mais difíceis do mundo. Não sou médica e muito menos advogada. Sou educadora física e na minha área, muito mais que em outras, a língua portuguesa é totalmente ignorada! "Exceções", são aqueles colegas que conseguem expressar-se sem as gírias características da profissão e os que conseguem escrever corretamente.
Acredito, que acima de tudo, devemos ter o interesse e a preocupação de aprendermos além daquilo que nos oferecem faculdades e colégios. Vai da determinação de cada um.
É preciso conscientização de que, seja qual for a profissão ou a área de atuação, a concorrência é exorbitante! É necessário esforço e muito estudo para sobressair-se!
espero que não nos acomodemos achando "natural" e aceitável profissionais de ensino superior escrevendo palavras erradas. O profissional se "propôs" a seguir uma carreira acadêmica. Por quê não fazer um esforcinho e utilizar aquele velho aliado (dicionário) caso haja dúvidas em alguma palavra?

Prof. Rogério de Jesus Nascimento disse...

Olá a todos,

Observem que o professor em questão, que aliás se tornou mais polêmico do que a temática deste seguimento de comentários cometeu uma inadequação gramatical. Mas deveríamos pensar na possibilidade morfológica desta construção. Observem que a palavra exceção tem como primária a palavra excetuar.
Dentro dos estudos da estilística pareado à semântica, podemos observar a possibilidade de inclusão das novas palavras que seguem (ou não) regras básicas de construção morfológicas. Sendo assim, a palavra "excessão" também pode ser empregada como um neologismo que nem é tão novo assim. Alguns dos nossos grandes gramáticos já consideram a possibilidade de uma grande quantidade de excesso, ou seja, várias ocorrências de excessos que gerariam uma excessão. Assim sendo, a palavra exceção é derivação explicita, clara e reconhecida do verbo excetuar e, se analisado nestes conformes, a palavra excessão é uma derivação implícita, menos clara e desconhecida da palavra excesso, verbo exceder.

O importante é entendermos que dentro de uma estrutura tão antiga como a gramática, ninguém é dono da verdade para considerar outra pessoa "burra". A nossa gramática vem de reflexões antigas de quando nem existia Brasil e língua portuguêsa. O professor cometeu uma inadequação linguística e quem alcunhá-lo ignaro saiba que comete um crime de preconceito linguístico.

Mas parabéns, até na ignorância de alguns podemos extrair aprendizados.

Prof. Rogério de Jesus Nascimento

Edmundo disse...

E eu acho que portuguesa não tem acento.

shanaylla disse...

As únicas palavras que me vêm a(talvez com crase...) mente: obrigada pelo comentário Joao. Se um dia eu fosse professora gostaria de ter alguns alunos que pensassem como você.

Anônimo disse...

Ninguém sabe tudo!
Eu sei muito pouco, e hoje aprendi mais um pouco!
Abraço a todos...

Anônimo disse...

meooooo eh exceçãooooooooooooo
q povo burroooo... nem direito
nem nada... tem q vim alguem
da area da saude msm pra comenda akiiiii .. biomedicos sabem mais!

Anônimo disse...

Morei muito tempo em cavernas e lá o pessoal chama essa palavra de ugabuga

A forma correta é exceção como todos responderam, mas por quê?
Geralmente aplicamos de forma errada uma regra. Erro muito comum.
A regra seria essa:
o que sucede é sucessão, o que excede é excessão.

Erramos pois a palavra exceção não se assemelha com exceder. Pois o que excede é excesso, não é exceção. A palavra exceção vem de excetuar não de exceder.

Anônimo disse...

Ao anônimo aí de cima...
Anônimo disse...
meooooo eh exceçãooooooooooooo
q povo burroooo... nem direito
nem nada... tem q vim alguem
da area da saude msm pra comenda akiiiii .. biomedicos sabem mais!
10 de setembro de 2010 04:14

o povo é burro mesmo e você também!

Ninguém "tem q vim aqui".. e sim "vir aqui"

Inez disse...

As pessoas erram pq a língua portuguesa é difícil e confusa.

maria flor disse...

Gostaria de dizer que todo mundo erra.todo mundo falha,sem exceçao

Anônimo disse...

O quarto comentário é do Prof. Pasquale???? (risos).

Eu gostaria, de falar de forma inofensiva, que não tem um comentário que obedeça as regras de português e gramática.

Comecei até a corrigir os comentários, ai então pensei. Quem seria uma pessoa burra, como Rose se referiu, e conclui:
-Pessoa burra é a que aumenta sua estima pormenorizando as outras pessoas por coisas ínfimas.

ABAIXO A ROSE!

Gabriel AV disse...

Bom Rose
Se ele fosse tão burro assim você não pagaria pra ficar escutando ele falar (e escrever). E outra coisa APOSTO QUE ELE GANHA MAIS DINHEIRO QUE VOCÊ, mesmo sendo "BURROOOOOO....KKKKKKKKKKKKKK"

bonitona, heim?!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Estou estudando em uma escola pública do Rio de Janeiro, no turno da noite.
Acho que uma das maiores qualidades que um ser humano pode ter é a humildade.
Confesso que já ri de muitas coisas escritas de maneira errada, mas isso tem acontecido cada vez menos.
Convivo com pessoas que se esforçam muito, que sonham com aquilo que muitos consideram um lixo.
Gente que tem mais de 50 anos e agora decidiu que quer sair da ignorância.
Quando eu estudava em uma escola particular, as pessoas realmente sabiam mais português e tiravam notas muito melhores, mas a arrogância dessas era tão grande que agora vejo "os burros" com outros olhos.
Lembro-me do meu colega, que após 30 anos decidiu voltar a estudar...
Ele possivelmente escreveria "excessão". Mas se alguém da minha sala, incluindo algum professor, zombaria dele? Jamais.
Cada um tem seus motivos.
Você nunca sabe o que as pessoas passaram.
Nem como o cérebro delas funciona.
Com 16 anos, curso o 1o ano do Ensino Médio. Repeti ano passado, e muitos me criticara, inclusive me chamando de vagabundo. Vagabundo?
Será que essa pessoa olha para o próximo tentando entender o que se passa com ele ou sai logo generalizando?
Gente que estuda de 6:30 às 10:00, que não tem ventilador em sala de aula e que tem de conviver com uma sensação térmica de mais de 40 graus... Favelados? Talvez. Arrogantes? Claro que não.
Fica um depoimento...
De alguém que, assim como todos os meus colegas, quer subir na vida.
E, se tem alguém que não quer estudar, não saia acusando essa pessoa. Respeite os motivos. Se tem conselhos, dê.

Anônimo disse...

SINCERAMENTE, ACONSELHARIA A LEITURA DO LIVRO "PRECONCEITO LINGUÍSTICO", DO MARÇOS BAGNO A MUITA GENTE QUE POSTOU AQUI.
TANTOS MITOS LINGUÍSTICOS QUE CHEGA A DAR VONTADE DE VOMITAR.
QUANTO IDIOTICE E PRECONCEITO

Anônimo disse...

Tenho certeza que o anônimo que lá no início escreveu que geralmente "os advogados são mal letrados" deve ter em muitos momentos de sua vida escrito não somente execeção de forma incorreta como muitas outras palavras. Sr. inteligente anônimo não faça julgamentos precipitados. Você vai encontrar em qualquer área alguém escrevendo uma palavra de forma incorreta. Certamente, hoje, mais do que antes as pessoas escrevem errado e as razões são infinitas. Diria que vai desde a eliminação do latim dos curriculos escolares (Você como um ser inteligente deve saber o que representa o latim para a língua portuguesa), da falta de leitura, do desinteresse,da fraca forma de ensino que encontamos pelo Brasil e por ai a fora.

Renata Matos disse...

Sinceramente o comentário do Sr João é um tanto que ignorante e egocêntrico.Existe pessoas que desenvolvem determinadas facilidades em escrever,falar e compreender o nosso idioma,mas ao mesmo tempo tem outras dificuldades.As pessoas são limitadas nem sempre armazenamos tudo com tamanha perfeição e é muito natural que possamos trocar letras que muitas vezes dão outro significado as palavras.Também é egocêntrico pensar que essa que esta palavra não desperte dúvidas principalmente em pessoas que dependem do ensino público do nosso Brasil,ate pq sabemos que a qualidade do nosso ensino é muito precária.desculpe-me João,mas nem todos tiveram a sorte de poder desfrutar de uma qualidade de ensino que muitos colégios particulares oferecem.E em questão dos advogados os defendo ate certo ponto.Eles são pagos para ganhar causas e não para ensinarem letras.Estudam muito para ganhar determinadas causas,muitas vezes seu pensamento está voltado ao cliente e não em ortografia,sinceramente eu prefiro um advogado com falhas ortográficas que alcance meus objetivos de causa ao advogado tão intelecto em letras e fracassado em vitórias.Renata Matos

OBS"Eu não sou advogada!

Anônimo disse...

voces todos que agora podem ler o que escrevo, nã se atenham ao mensageiro ou a forma como a mensagem foi escrita.,quando o que importa mesmo,é,o conteudo da mesma.
agora falando de comportamento,
pude ler um bando de ensimesmadoscada um querendo mais que o outro,provar que sabe, quando não tem coragem de conhecer a si proprios (me desculpem ,não sei escrever corretamente moro no campo e estudo sozinho, nunca estive em uma escola)

Sonia Maciel disse...

Olá a todos:
Muito interessante essa discussão sobre quem conhece mais ou menos, se fala certo ou errado. Vamos para o lado holístico: o que seria do mundo se não existisse a dúvida? Nenhum ser humano é bastante sábio para não errar. O que precisamos realmente é exercitarmos nossa capacidade de tolerar, trocar conhecimentos e enriquecer a vida de todos que nos cercam.
E por falar nisso, sou produtora cultural e professora e estou fazendo este comentário devido à uma dúvida que tive com a palavra esceção. Interessante, não?
Um bom ano de 2011 a todos e boas reflexões. Amar e tolerar são qualidades que devemos buscar em nossa alma, afinal, depois da morte não podemos mais definir quem é mais ou menos inteligente.
Beijos a todos.

Anônimo disse...

Não te intimides se as pessoas se apresentam com ar de superioridade ou de mestres, pois todos um dia foram alunos e apenas a arrogãncia não os deixa ver que são repetentes em matéria de humildade.
Sidney Sob

Anônimo disse...

Aprendi o seguinte: quando tiver dúvida sobre a escrita de uma palavra, procure no dicionário. Só isso. Nada de ficar discutindo sobre quem é isso ou aquilo. Perda de tempo. Há coisas mais importantes na vida para se preocupar. Está com dúvida? Procure um dicionário e pronto.

Anônimo disse...

Amei o comentário de João!

Professor Batista disse...

Acho no mínimo indelicado, chamar alguém de "BURRO". É característico de pessoas que não tem o minimo de respeito pelos outras e muito menos pelos País. Na realidade, são pessoas que não respeitam nem a si mesmos.

figura disse...

Lendo e analisando todos os comentários, pude perceber como há pessoas extremamente inteligentes, provocativas e letradas, pois com uma simples dúvida sobre a escrita correta de uma palavra surgiram discussões tão profundas que nos levam a analisar a educação brasileira, educação do lar e o respeito ao ser humano. Fico ansiosa agora pra saber qual a próxima palavra que colada em dúvida sua escrita resultará em novas discussões.

Vilar Vilão disse...

À todos: "Aluno" quer dizer sem luz. Logo, todos a buscam. Aprender é um processo contínuo e deve ser respeitado. Existem coisas que fazem diferença no trabalho, contudo existem detalhes que não interferem na atividade. Escrever uma palavra errada acontece e acontecerá sempre, mas isso é detalhe ou é a atividade principal da pessoa? A comunicação sofrerá ruptura ou se dará bem? Uma última pergunta. O aluno que chama seu mestre de BURRO, tem a competência para ser mestre?
Agora pelo viés econômico: O aluno recebe quanto? é funcionário? recebe por salário(s)? Quando vc começar a receber acima de R$ 20.000,00 por semana, vc não dará a mínima para uma erro dessa natureza.
Minha interpretação: Liso tem tempo pra observar pequenas coisas. Rico não tem tempo para centavos. Pessoas vazias fazem muito barulho, pessoas cheias são silenciosas.

Andre da Paz disse...

Concordo em poucas coisas com o comentário do sr. Vilar Vilão. Não generalize o fator econômico como sinônimo de indiferença em relação à língua, ou melhor, às língua. Não consigo imaginar uma família que tem renda familiar de R$ 20.000,00 reais por semana ter seus filhos letrados somente em português.

Agora, sobre o "Aluno quer dizer sem luz" isso é um mito. Seria "sem luz" se a palavra fosse de origem Grega onde o prefixo A tem sentido negativo. A palavra Aluno vem do latim e significa literalmente criança de peito(do latim alumnus, alumnié que subentende-se como “alimentar, sustentar, nutrir, fazer crescer”).

Kátia Bigueti disse...

vixi!!! a discussão foi de lingua portuguesa para mensagens de auto-ajuda!!! hahahaha. E isso não é uma crítica não.. é só uma observação. É muito interessante ver a diversidade das idéias.. ou pelo menos, a forma q desejam q sejam expostas... Gostei!

marcos ferreira disse...

A você gordinha e a você “ô” sem nome; podem até achar um e outro profissional do Direito que escreve errado, como tudo é erro em seu país. Prove que em sua área profissional tem algum gênio? Seus erros foram observar o defeito alheio. Olhem no espelho e vejam se esta tudo certo! Existem erros que podem ser consertado.

marcos ferreira disse...

A você gordinha e a você “ô” sem nome; podem até achar um e outro profissional do Direito que escreve errado, como tudo é erro em seu país. Prove que em sua área profissional tem algum gênio? Seus erros foram observar o defeito alheio. Olhem no espelho e vejam se esta tudo certo! Existem erros que podem ser consertado.

Claudia Mary disse...

Gostaria de parabenizar o texto do João,simplesmente fantástico,uma verdadeira aula.
Educação e respeito ao próximo acima de tudo.
Abraços.

Claudia Mary disse...

Pessoal,não tenham pressa ao escrever,leiam com atenção para entender o conteúdo,vejo que há muitos aqui que não entenderam a mensagem que o João quis transmitir.Ele escreveu uma crônica sarcástica,é isso gente.
Abraços.

Ana Paula Santos disse...

Não quero confrontar ninguém,mas gostaria de dizer que na área jurídica é correto das duas maneiras, porém o significado é diferente, então cabe a vc aluna do primeiro comentário pedir explicações ao seu professor....
Só não vou aprofundar pq realmente não me recordo do significado de cada umas delas..

manoel rabelo disse...

Pessoal , calma todo mundo erra.é normal do ser humano.

MarX Cavalcante kmmx disse...

Excessão ou Exceção: como se escreve?

O correto é EXCEÇÃO, mas por quê?

Geralmente aplicamos de forma errada uma regra. Erro muito comum.
A regra seria essa: o que sucede é sucessão, o que excede é excessão.

Erramos pois a palavra exceção não se assemelha com exceder. Pois o que excede é excesso, não é exceção. A palavra exceção vem de excetuar não de exceder.

Referência:
http://frenteeverso.blogspot.com.br/2010/01/excessao-ou-excecao.html

Bianca Freitas Freitas disse...

De antemão vou deixar claro que não me incluo entre os letrados,gênios,mestres,absolutos,
enfim. Então se avistarem um erro ignorem ou ratifiquem o que já se esperaria de uma reles mortal como eu.


Nossa, estou passada! Não pelo fato de uma dúvida corriqueira,banal e absolutamente comum,ter gerado tantos problemas. Porque o ser humano já traz em si uma vontade soberba de se sobressair dos demais. Estou estarrecida,na verdade,é pelo preconceito presente em alguns comentários. "Tem erros que podem ser consertados" Nossa, onde vamos parar? Desde quando ter qualquer biotipo ou característica física é um erro? Quanta ignorância verdadeiramente preocupante!
Pelo amor de Deus...

Mesmo que nos tornemos máquinas-perfeitas-humanas,definharemos. Ao menos enquanto ainda acreditarmos nos estereótipos e julgarmos os outros sem um pingo de respeito pelos sonhos e razão de ser de cada um. Um abraço a todos que evoluíram e evoluem - porque escolheram assim - um pouco mais a cada novo dia.

robinho disse...

É incrível como o debate se estende, se não me engano se inicia em 2010...rs, e ainda continua sendo algo polemico,onde pessoas critica as outras por não dominarem a língua de seu próprio país. Só que, duvido que as pessoas que expôs aqui suas indignações ao ponto de chamar outra de "burro", tenha total domínio da língua portuguesa, ou em que algum momento não usaram recursos de correção ortográfica.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...