A ambiguidade do seu/sua - Português na Rede

A ambiguidade do seu/sua

Quando escrevemos, devemos ter como preocupação constante o entendimento que o leitor terá de nosso texto.

Não basta compreendermos nossos escritos; o mais importante é o outro compreender bem.

Se tivermos essa preocupação, estaremos mais "vacinados" contra problemas como a ambiguidade da seguinte frase, retirada de uma revista: "Prefeito cumprimenta governador em seu aniversário".

Ao lê-la, temos duas interpretações,1. O prefeito cumprimentou o governador no dia do aniversário do chefe do Executivo estadual.
2. O prefeito, no dia de seu aniversário, cumprimentou o governador.Em alguns casos, a solução desse problema é a substituição do seu/sua pelo dele/dela.

Não é, porém, o caso dessa frase, pois coincidiu de os substantivos "prefeito" e "governador" terem o mesmo gênero e número.

Ou seja, ficaria do mesmo modo ambíguo "Prefeito cumprimenta governador no aniversário dele".

Alguns advogam a repetição do substantivo após o "dele", entre parênteses, para resolver o problema: "Prefeito cumprimenta governador no aniversário dele (o governador)".

A nosso ver, essa saída pode ser boa para a compreensão, mas é péssima para o estilo.

O ideal mesmo é mudar a redação: se o aniversário for do prefeito, "Em seu aniversário, prefeito cumprimenta governador"; se o aniversário for do governador, "Prefeito cumprimenta governador pelo aniversário".

De tudo isso, fica a lição de que o seu/sua tem forte potencial para causar ambiguidade e, por isso, o emprego dele deve ser feito com muito critério.

Um comentário:

Maiara Mascarenhas disse...

Não é à toa que, em "Carta ao pai", optou-se (em relação ao pai) pela segunda pessoa do singular.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...