Agosto 2008 - Português na Rede

CONCORDÂNCIA

Em seu currículo, o que não faltam são títulos.


Escorregou na concordância o autor da frase acima.



Ocorre que, em frases como essa, o primeiro verbo concorda com o antecedente do pronome relativo “que”.


No caso, o antecedente do “que” é o demonstrativo “o”, que equivale a “aquilo”.


Por isso, Em seu currículo, o que não falta são títulos.
Veja mais exemplos corretos:

Nos dias atuais, o que está sobrando são escândalos.

Existe vontade, o que falta são recursos.


Durante o jogo, o que se ouviu foram gritos e fogos.
Leia Mais ►

A origem da palavra “canalha”

Veio do latim “canalia”, que significa "bando de cães".

Hoje, “canalha” nada mais tem a ver com cães.

E as pessoas já não fazem a associação canalha – cães.

Melhor para eles, os cães!
Leia Mais ►

HAJA VISTO ou HAJA VISTA?

Quem diz “haja visto” deve, por coerência, dizer “ponto de visto”.

Enfim, a expressão certa é “haja vista”.

Equivale a “veja”.

Modernamente é invariável.


Não varia “haja”, muito menos “vista” – é sempre “haja vista”.
Leia Mais ►

UM TOTAL DE 50 PESSOAS ASSISTIRAM ou ASSISTIU AO EVENTO?

O verbo fica no singular quando seu sujeito é “um total”.

Portanto, “Um total de 50 pessoas assistiu ao evento”.
Leia Mais ►

Maratona

Palavra que veio do grego Marathón, aldeia da Ática, Grécia.


É nome de modalidade esportiva numa homenagem ao soldado Fidípides, que em 490 a.C. percorreu a pé o trajeto Maratona a Atenas, exatos 42 quilômetros e 195 metros.


O objetivo de Fidípides era comunicar a vitória dos gregos na guerra contra os persas. Ele conseguiu, porém caiu morto logo após dar a notícia.
Leia Mais ►

BUGGY x BUGRE

BUGGY é veículo, muito utilizado nas dunas de praias nordestinas.

BUGRE é indivíduo pertencente a grupo indígena que habita o Sul do País ou pessoa rude, grosseira.
Leia Mais ►

Prova dos nove ou dos noves?


Em geral, os numerais não se flexionam: “Viajou com os quatro filhos”; “A sala tem uns trinta alunos”; “Li rapidamente as cinco revistas”.

Quando, porém, o numeral é um substantivo, caso em que é acompanhado de um determinante e não precede outro substantivo, ele se flexiona normalmente: “O número 777 tem três setes”; “A filhinha dele escreveu vários oitos na parede da sala”; “Tirou a prova dos noves”.
Leia Mais ►

Arma branca

Expressão aplicada a toda arma que não é de fogo, como espada, faca e lâmina.


"Branco" é uma cor suave, associada à idéia de inocência.

Das armas existentes, as brancas são as mais "puras", "inocentes".
Leia Mais ►

ELE É DE MENOR ou ELE É MENOR?

Na indicação de menoridade ou maioridade, não se usa a preposição “de” antes das palavras “menor” e “maior”.

Ou seja, no português-padrão, alguém é menor [de idade] ou maior [de idade]. 


Compre o novo livro de Laércio Lutibergue AQUI.
Leia Mais ►

Rúbrica ou rubrica?

O certo é “rubrica”, portanto a vogal tônica é o “i”.

“Rubrica” vem de “rubro”.

“Rubro” significa “vermelho”.

E o que “rubrica” tem a ver com “vermelho”?

Hoje em dia tem pouco, pois é mais usada com o sentido de “assinatura abreviada”.

Porém, o significado original - “letra ou linha inicial de capítulo escrita em vermelho” - elucida a questão.

E “rubrica” não é filha única: rubi, rubor, enrubescer, ruivo e rubéola, doença que deixa a pele com manchas vermelhas, são todas filhas de “rubro”.
Leia Mais ►

O CHASSIS ou O CHASSI?

A palavra é “chassi”. A forma “chassis” só se usa no plural. Logo, "um chassi", "dois chassis", "o chassi do automóvel".
Leia Mais ►

Cem mil eleitores estão aptos a VOTAREM ou a VOTAR?

Não se recomenda flexionar o infinitivo que serve de complemento a um nome ou outro verbo. No excerto, “votar” é complemento do adjetivo “apto”.

Assim sendo, "Cem mil eleitores estão aptos a votar”.

Outros exemplos:


"Eles foram convidados a participar do debate" ("participar" é complemento de "convidado");


"Os alunos estão obrigados a comparecer ao teste" ("comparecer" é complemento de obrigado);


"Os torcedores foram impedidos de entrar no estádio" ("entrar" é complemento de "impedido").


Leia Mais ►

Traga seu óculos velho e ganhe 50% de desconto na compra do novo


Frase retirada de um anúncio. Ela apresenta um erro muito comum.


Sucede que “óculos” é palavra que só se usa no plural, como "costas", "férias", "parabéns".


Logo, o artigo, o adjetivo e o pronome que se relacionam com “óculos” têm de ficar no plural.


A frase correta é, portanto, esta: “Traga seus óculos velhos e ganhe 50% de desconto na compra dos novos”.
Leia Mais ►

Dilema

“Com o dólar em queda, ela vive um dilema: escolher como destino de férias Gramado ou uma cidade estrangeira.”

Qual a imperfeição da frase acima?


Dilema, segundo o Aurélio, é uma situação embaraçosa com duas saídas difíceis.


Desse modo, uma pessoa que ou salta do avião ou fica nele com um homem-bomba ao seu lado vive um dilema.

Mas o fato de escolher a cidade para onde vai viajar nas férias, tendo como uma das opções a cidade gaúcha de Gramado, não pode ser chamado de dilema.

O que temos é uma simples opção de escolha, ou melhor, uma agradável dúvida: “Com o dólar em queda, ela está em dúvida: escolher como destino de férias Gramado ou uma cidade estrangeira”.
Leia Mais ►

Os plurais "artesãos" e "artesões"

Cuidado com os plurais “artesãos” e “artesões”, pois eles não significam a mesma coisa.



“Artesãos” é o plural de “artesão”, o artista.

“Artesões” é o plural de “artesão”, o enfeite de abóbada.

Assim sendo, "Os artesões da igreja foram produzidos por artesãos pernambucanos".
Leia Mais ►

CONCORDÂNCIA: FRACIONÁRIOS

Com os numerais fracionários, a concordância é feita com o número que encabeça a fração: “Só um terço da prova foi concluído”; “Um quinto dos alunos foi reprovado”; “Dois terços da população ainda se preocupam com o perigo de novos atentados terroristas”.
Leia Mais ►