Plural das palavras terminadas em "ão" - Português na Rede

Plural das palavras terminadas em "ão"

Vamos entrar num terreno cheio de pedras: o plural das palavras terminadas em "ão".


O problema é que há mais de uma forma: umas mudam para "ões" (casarões, facões, leões), algumas para "ães" (alemães, capitães, tabeliães), outras para "ãos" (acórdãos, cidadãos, pagãos), e há as que têm mais de um plural (afegães, afegãos, aldeães, aldeãos, aldeões, anões, anãos, corrimãos, corrimões).


É complicado sim. Mas não adianta reclamar. Temos que nos contentar com as regras do jogo.


Ainda bem que no jogo da gramática há sempre os macetes:


O PRIMEIRO - a maioria das palavras com “ão” no fim tem o plural com “ões”: anfitriões, balões, botões, feijões, mamões, melões. Os aumentativos fazem parte deste grupo: facões, paredões, portões, narigões, piscinões.

O SEGUNDO - algumas poucas fazem “ães” no plural: alemães, cães, capelães, capitães, catalães, escrivães, tabeliães. Repare que neste grupo estão incluídas palavras que designam atividades profissionais (capitães, escrivães, tabeliães) e religiosas (capelães).

O TERCEIRO - um grupo pequeno alterna para “ãos” no plural: cidadãos, cortesãos, irmãos, cristãos, pagãos. Deste grupo fazem parte as paroxítonas terminadas em “ão”: acórdãos, bênçãos, órfãos, órgãos, sótãos.


O QUARTO - há palavras que aceitam duas ou três formas de plural, como aldeãos, aldeães, aldeões, anãos, anões, anciãos, anciães, anciões, castelãos, castelões, charlatães, charlatões, cirurgiães, cirurgiões, corrimãos, corrimões, ermitãos, ermitães, ermitões, faisães, faisões, guardiães, guardiões, refrãos, refrães, sacristãos, sacristães, verãos, verões, vilãos, vilães, vilões, vulcãos, vulcães, vulcões.


OBSERVAÇÕES:

1. A palavra "artesão" tem dois significados: quando for "artista de trabalhos manuais", seu plural é “artesãos”; quando for "tipo de adorno arquitetônico", seu plural é “artesões”.

2. O feminino terminado em “ã” só recebe um simples “s” no plural: irmã = irmãs; órfã = órfãs; anfitriã = anfitriãs.

5 comentários:

Yuri disse...

Caro Laércio,

Se para quem milita na área e gosta dela já é meio complicado (embora haja as boas dicas, como bem frisou o amigo), para o usuário comum da língua é complicadíssimo!

Como costuma dizer um amigo meu de Milagres/Fortaleza, "a rapadura é doce, mas não é mole não". (Risos...)

Um bom feriadão! E que outros feriadÕES venham.

Paz e bem!

Prof. Yuri/Maceió

Laércio Lutibergue disse...

É isso aí, Yuri, a rapadura da gramática é doce, mas não é mole!

Uma ótima Páscoa!

E, claro, que venham outros feriadÕES!

Mel de Cajá disse...

Sou fanzoca do seu blog.
Fiquei muito feliz em vê-lo na longa lista ( risos ) de seguidores do meu.
Não sou professora, mas nutro uma paixão antiga pela matéria, que é tão difícil quanto atrante.
Sou principiante nesta tentativa de escrever. É só um ensaio por enquanto. Mas gosto muito, o problema é a preguiça que não me larga ...
Um abraço,
Feliz Páscoa.

Laércio Lutibergue disse...

Mel de Cajá:

Admiro muito as pessoas que valorizam a difícil arte de escrever.

Gostei do seu blog e do seu texto.

Vá em frente!

Telma disse...

Adorei encontrar um local para tirar as dúvidas, que são muitas, enquanto tento escrever alguns rabiscos, que ouso chamar de textos.
Abraços
Telma

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...