O lheísmo - Português na Rede

O lheísmo


Deus lhe abençoe. Eu lhe vi. Eu lhe amo. Aparentemente, nada de anormal há nessas frases. Mas há.


Em todas elas, existe a ocorrência do "lheísmo", fenômeno linguístico que consiste no uso do "lhe" no lugar do pronome "o".

Ou seja, as frases gramaticais são "Deus o/a abençoe", "Eu o/a vi", "Eu o/a amo".

Vamos abrir um parêntese para relembrar a noção de transitividade verbal.

Verbos transitivos são aqueles que precisam de complemento para ter sentido completo.

Se a ligação entre o verbo e seu complemento for direta, sem preposição, o verbo será “transitivo direto”.

Se a ligação for indireta, com uma preposição, o verbo será “transitivo indireto”.

Um exemplo de transitivo direto: "Ele viu o irmão". Perceba que "irmão" completa o sentido de "ver" e faz isso desacompanhado de preposição.

Um exemplo de verbo transitivo indireto: "Ela gosta muito da mãe". Note que "mãe" completa o sentido de "gostar" e faz isso acompanhado de preposição.

Às vezes, no lugar de substantivos como "irmão" e "mãe", usamos os pronomes pessoais "o" e "lhe".

Esses pronomes, porém, têm funções distintas: "o" substitui objeto direto, ao passo que "lhe" substitui objeto indireto.

As pessoas, no entanto, se esquecem disso e é aí que surge o "lheísmo".

Muito comum no Nordeste, esse fenômeno tem como possível causa, além do desconhecimento da regra, uma predileção sonora.

Quem diz "Eu lhe amo" possivelmente o faz por não se sentir à vontade para dizer o formal "Eu o amo", que, para alguns, pode parecer marca de afetação.

O que fazer então, aceitar ou combater o lheísmo?

As duas coisas. Nos registros mais informais, como na fala coloquial, não existe a necessidade de combatê-lo.

Em registros mais cultos, porém, especialmente na língua escrita, ele deve sim ser evitado.

2 comentários:

Neidoca disse...

Muito bem. Quanto ao uso do pronome "lhe" para indicar a terceira pessoa do discurso, entendi muito bem.No entanto, é muito raro que algum professor de gramática normativa explique o erro no uso dele para a segunda pessoa do discurso ou seja, não fica claro pra quem está estudando, qual pronome deve-se usar para indicar a segunda pessoa. Por exemplo: "Eu amo meu namorado".Eu o amo.
Quando falo essa frase diretamente a ele, devo dizer: Eu te amo. Muito bem. Vamos agora tratar do "lhe" que é objeto indireto e é o quê mais tem me causado confusão."Samuel pedia a Deus que o perdoasse." "Samuel pedia-lhe que o perdoasse" é isso?Obrigada.Oneide Duarte

Laércio Lutibergue disse...

Neidoca:

Acima das regras, está a clareza.

Em alguns casos não funciona a substituição do objeto indireto por "lhe".

Um exemplo disso é "Samuel pedia a Deus que o perdoasse" = "Samuel pedia-lhe que o perdoasse".

Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...