Concordância: o verbo "haver" - Português na Rede

Concordância: o verbo "haver"

É alto o número de erros de concordância com o verbo "haver". 

São comuns frases como "Houveram muitas pressões", "Haviam muitas pessoas na festa" e "Haverão mais mudanças na equipe". 

E essas frases são proferidas tanto por falantes escolarizados como por não escolarizados. 

É a velha tendência das pessoas de padronizar tudo. 

Mas, assim como os homens, os verbos têm diferenças. 

Existem os que variam normalmente no plural são os verbos pessoais; e os que não variam no plural são os verbos impessoais.

Este último caso é o de "haver" quando significa "existir" ou indica tempo passado. 

Daí o erro de "Haviam muitas pessoas na festa". Como "haver" nessa frase equivale a "existir", o correto é "Havia muitas pessoas na festa".

O curioso dos erros de concordância com "haver" é que eles são frequentes no passado e no futuro, mas raramente ocorrem no presente. 

Isto é, quem diz "Haviam muitas pessoas na festa" não diz "Hão muitas pessoas na festa", mas sim "Há muitas pessoas na festa". 

O que mostra que a má sonoridade de algumas formas de "haver" ("hão" principalmente) foi decisiva para torná-lo impessoal. 

Mas, repetimos, essa impessoalidade de "haver" somente se manifesta quando ele significa "existir" ou indica tempo passado. 

Se seu sentido for outro, ele é pessoal e varia normalmente no plural. 

É o que ocorre na frase "Eles não houveram o que desejaram", em que "haver" significa "conseguir".

2 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezado Laércio,

Excelente utilizar este espaço para contribuir com o nosso idioma. Parabéns!

Eu escrevo, por exemplo, sem a pretensão de expôr um exemplar português. E, por seguinte, informo em meu blog, que não me avaliem pelo erros de português, mas sim, pelo conteúdo do texto. Está bem explícito, reafirmo, do lado esquerdo do meu blog.

Aproveito para indagar: como será com o novo idioma português e sua implantação, sem nem ao menos o povo aprendeu o anterior que está fechando as cortinas de um show incompleto?

Pode ser que seja apenas um sentimento vazio, mas me ajude com o que passa em nossos textos com o mal adquirido. Exemplo:

A GENTE vai.

A GENTE pensa em fazer.

A GENTE fica.

Toda a GENTE quer fazer.

Toda a GENTE quer ir.

E por aí vai.

Continue com suas mostras e quem sabe, alguns estarão aproveitando o bom caminho.

Depois de viver muitos anos nos EUA, sinto que algo vai de errado com o comum: Muito obrigado!

Obrigado de quê? ou por quêm?

Deveríamos alterar para: Muito agradecido!

Grato por sua matéria!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

FÉLIX disse...

gosto muito do seu blog . adoro a lingua mas nao sei se falo e escrevo ela como deveria. eu tenho um pequeno blog e queria sua opniao sobre o conteúdo ao qual ele engloba e como este conteúdo esta sendo passado. poderia dar um ''pulinho'' la? (felixferreira.blogspot.com). obrigado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...