Correlação modo-temporal - Português na Rede

Correlação modo-temporal

Em nosso trabalho de edição e revisão de texto, no Jornal do Commercio e fora dele, percebemos que são muito comuns os problemas de correlação modo-temporal.
 
É o seguinte: os verbos mantêm entre si correlações de modo e de tempo.


Ou seja, algumas formas verbais se combinam, enquanto outras não.


Vejamos um caso em que as formas verbais se combinam: “Se eu fosse você, compraria aquela casa”.


Tudo bem com essa frase, certo?


É porque a correlação modo-temporal está adequada: o imperfeito do subjuntivo (fosse) combina com o futuro do pretérito do indicativo (compraria).


Agora um exemplo em que não existe correlação: “Ele pediu que mantenham os investimentos”.


Existe algo estranho nessa frase, não há correspondência modo-temporal: o pretérito perfeito do indicativo não combina com o presente do subjuntivo.


Estaria certo se fosse “Ele pediu que mantivessem os investimentos”, porque o pretérito perfeito do indicativo combina com o imperfeito do subjuntivo.


Fazer a correlação modo-temporal certa não é difícil.


O bom leitor percebe logo quando a correlação não está adequada, pois a sonoridade é ruim.


O problema é que as pessoas estão lendo cada vez menos e, por isso, estão ficando indiferentes às frases que soam mal.


Para facilitar, apresentamos uma pequena lista de correlações modo-temporais abonadas pela gramática:


1. Presente do indicativo com presente do subjuntivo.


Ex.: “É fundamental que ela esteja aqui amanhã”.


2. Pretérito perfeito do indicativo com pretérito imperfeito do indicativo.


Ex.: “Quando eu conheci sua mãe, ela trabalhava demais”.


3. Pretérito perfeito do indicativo com pretérito imperfeito do subjuntivo.


Ex.: “Critiquei antes para que os diretores evitassem o pior”.


4. Futuro do presente do indicativo com futuro do subjuntivo.


Ex.: “Darei o recado a meu marido quando ele chegar”.


5. Futuro do pretérito do indicativo com pretérito imperfeito do subjuntivo.


Ex.: “Eu confiaria mais na sua tia se ela fofocasse menos”.

Publicado na coluna "Com todas as letras", Jornal do Commercio do Recife, em 24/11/2010.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...