ORTOGRAFIA DO ACORDO: TÃO-SOMENTE ou TÃO SOMENTE?

O hífen saiu de cena nas formações em que nenhum dos elementos é substantivo, adjetivo, verbo ou numeral (tão só, tão somente) ou naquelas entre cujos elementos aparece um vocábulo de ligação (dia a dia, lua de mel, mão de obra).

Exceções do último caso: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao deus-dará e à queima-roupa.

O acordo, porém, não aboliu o hífen das palavras formadas por substantivo + substantivo (ano-luz, decreto-lei), substantivo + adjetivo (mesa-redonda, azul-escuro), adjetivo + substantivo (boa-fé, maus-tratos), numeral + substantivo (primeiro-ministro, quarta-feira), verbo + substantivo (guarda-chuva, porta-aviões) e naquelas em que pelo menos um dos elementos seja um substantivo, um adjetivo, um verbo ou um numeral (joão-ninguém, abaixo-assinado, alto-falante).

Postado por
Laércio Lutibergue

às
05:44

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Scroll to Top