A vírgula do vocativo

"Vocativo", do latim "vocativu" (e este de "vocare", "dirigir a palavra a alguém"), é o termo a que se dirige o chamado, a interpelação, a ordem.

O vocativo fica OBRIGATORIAMENTE separado dos outros termos por vírgula.

E há uma razão para essa vírgula: sem ela, o significado pode ser alterado. Veja:

Você viu o professor Luís?

– Vou lhes contar outro caso pessoal.

– Ouça meu amigo.

Agora, essas frases com vírgula:

– Você viu o professor, Luís?

– Vou lhes contar outro caso, pessoal.

– Ouça, meu amigo.

O sentido é bem diferente, não?

Por isso, não podemos menosprezar a importância da vírgula do vocativo.

Ela é necessária, pois nos dá a certeza de estarmos comunicando aquilo que de fato queremos.

Ah, o problema é identificar o vocativo?

É muito simples: sabemos que um termo da frase é vocativo quando podemos antepor a esse termo a interjeição de vocativo "ó":

– Parabéns, (ó) Recife!

– Dá-lhe, (ó) Brasil!

– (Ó) Pedro, fecha o portão, por favor.

E mais uma informação: quando se usa a interjeição "ó", muitos costumam pôr a vírgula entre a interjeição e o nome próprio, como em "Ó, Maria, volte logo".

Essa pontuação é equivocada.

O certo é a vírgula ficar antes da interjeição e/ou depois do ser chamado:

– Volte logo, ó Maria.

– Ó Maria, volte logo.

– Volte logo, ó Maria, porque estou com pressa.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Scroll to Top