O sentido das frases: a ordem pode alterar o produto

 

Alterar - Dicio, Dicionário Online de Português

“A ordem dos fatores não altera o produto.”

Isso pode ser verdade na matemática, mas não na língua portuguesa.

Vamos provar. Começaremos mostrando uma característica do adjetivo.

Essa palavra, cuja função é qualificar, geralmente fica depois do substantivo modificado por ela: casa bonita, cidade maravilhosa, mulher charmosa.

“Bonita”, “maravilhosa” e “charmosa” são adjetivos e estão na ordem natural, depois do substantivo.

E se a ordem for alterada – bonita casa, maravilhosa cidade, charmosa mulher –, mudará alguma coisa?

Mudará sim, a frase ficará mais forte, ou seja, a ideia será expressa de modo mais enfático.

A ênfase não é o único resultado da alteração da ordem de um adjetivo.

O sentido é outro componente da história: “amigo velho” é um amigo idoso, “velho amigo” é uma amizade antiga, “oficial alto” é um militar de estatura alta, “alto oficial” é um militar importante, “mulher pobre” é uma mulher de poucas posses, “pobre mulher” é uma mulher digna de pena.

A mudança de sentido causada pela ordem não é exclusiva dos adjetivos.

Com as conjunções adversativas, ocorre algo parecido: “O carro é caro, mas é bonito” é diferente de “O carro é bonito, mas é caro”.

No primeiro caso, prevalece a ideia de que o carro é bonito, logo a pessoa deve comprá-lo; no segundo, é mais forte a ideia de que o carro é caro, logo a pessoa não deve comprá-lo.

Isso ocorre porque o trecho iniciado pela conjunção adversativa é sempre mais forte opinativamente que o anterior.

Com esses casos, provamos que na língua portuguesa, algumas vezes, a ordem dos fatores altera sim o produto.

Postado por
Laércio Lutibergue

às
05:44

 

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Scroll to Top