A ficha, os fichas e a ortografia

Atividade Pronta - Ortografia | A Arte de Ensinar e Aprender / Fundamental

Para quem escreve em jornais e revistas, nos últimos tempos é um tal de “ficha limpa” pra lá, de “ficha-suja” pra cá, às vezes com hífen, outras sem, ora com inicial maiúscula, ora com minúscula.

Enfim, um pluralismo gráfico que exige certa atenção de quem escreve.

Como esses termos são novos, ainda não existe uniformidade.

Por isso, num mesmo texto, é comum encontrar “os fichas sujas”, sem hífen, e “os fichas-sujas”, com hífen.

É normal, pois se trata de expressões ainda não reconhecidas oficialmente, ou seja, sem registro em obras de consulta, como os dicionários e o Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras.

No nosso caso, na condição de consultor linguístico, não podíamos ficar estático vendo a banda da bagunça ortográfica passar.

Assim, formulamos para o Jornal do Commercio a regra sobre o uso dessas expressões, conforme os preceitos da tradição gramatical.

A regra, que também serve para você, leitor, diz o seguinte:

1. Quando for substantivo e significar “pessoa que tem ficha limpa ou suja”, a expressão terá hífen e flexão no plural: “Os fichas-limpas do Congresso”; “Os fichas-sujas da política”; “Eleitor diz não aos fichas-sujas”.

2. Quando for adjetivo e tiver o mesmo significado acima referido, a expressão será invariável: “Eleitor diz não aos candidatos ficha-suja”; “Precisamos eleger os políticos ficha-limpa”.

3. Quando significar “ficha que reúne as informações sobre a conduta de uma pessoa”, será sem hífen e variará normalmente no plural: “Ele tem uma ficha limpa”; “A questão da ficha limpa é importante”; “Lei da Ficha Limpa”; “Os políticos planejam apagar suas fichas sujas”.

Observe que a lei é “da” ficha limpa (= “da ficha que reúne as informações sobre a conduta de uma pessoa”), e não “do” ficha limpa.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Scroll to Top