Outubro 2007 - Português na Rede

VOTAÇÃO SE ESTENDEU MADRUGADA A DENTRO ou ADENTRO?

O advérbio "adentro", oposto de "afora", é usado em frases como "Penetrou mata adentro", "A aula prosseguiu noite adentro", "Votação na Câmara se estendeu madrugada adentro".
Leia Mais ►

EMPRESAS JÚNIOR ou EMPRESAS JUNIORES?


O adjetivo “júnior” no plural vira “juniores” (observe o deslocamento da sílaba tônica, com “o” fechado). 

Portanto, o certo é “advogados juniores”, “jogadores juniores”, “empresas juniores”.
Leia Mais ►

CRASE ANTES DE NÚMERO

Pode haver crase antes de número?

Pode.

Mas para isso o número tem de representar ou se referir a uma palavra feminina.

Exemplo: “Leia o texto da página 5 à 15”.

Sucede que, nesse caso, a palavra “página" está antes do número 15, porém está elíptica (subentendida):

“Leia o texto da página 5 à (página) 15”

É por isso que ocorre a crase.
Leia Mais ►

AO ENCONTRO DE x DE ENCONTRO A


AO ENCONTRO DE significa "a favor de", “em direção a”: 

Com essas medidas saneadoras, o governo vai ao encontro da sociedade.

O objetivo do Diretório olindense é proporcionar ao eleitor uma alternativa que vá ao encontro dos anseios do povo.


Andrade cobrou escanteio da esquerda, e a bola foi ao encontro de Carlinhos Bala, que, embaixo da barra, estufou a rede.


DE ENCONTRO A significa “no sentido oposto a” e indica choque, discordância: 

A escolha do filho foi de encontro às aspirações do pai.

 A decisão irrefletida do diretor-presidente foi de encontro ao pensamento racional dos demais diretores.
Leia Mais ►

UMA VARIZE ou UMA VARIZ?

A palavra é "variz", com "z" no fim.

O plural é "varizes", como "-es" no fim, que é a terminação de plural das palavras terminadas em "z":

ESTUPIDEZ - ESTUPIDEZES;

GRAVIDEZ - GRAVIDEZES;

MALCRIADEZ - MALCRIADEZES.
Leia Mais ►

Crase

À distância ou a distância?

Quando a distância não está determinada, o “A” que abre a locução “a distância” não leva acento grave. Compare:


Sem crase

“Ele acompanhou tudo A DISTÂNCIA.”


“Moradores acompanharam o desfile A DISTÂNCIA.”

“Educação A DISTÂNCIA.”

Com crase

“Os militares acompanharam tudo À DISTÂNCIA de 15 metros.”

“No zoológico, as feras ficam À DISTÂNCIA de 100 metros.”

“Observamos tudo À DISTÂNCIA de 5 metros.”
Leia Mais ►

Regência verbal

Suceder

O verbo “suceder” não rege objeto direto: uma pessoa ou coisa sempre sucede a outra. Como “suceder” não rege objeto direto, não existe a forma “o sucederá”, mas sim “lhe sucederá”. Exemplo: “O candidato que lhe sucederá, seja republicano ou democrata...”



Extorquir

Extorquimos alguma coisa de alguém. Isto é, no português-padrão, o objeto direto desse verbo só pode ser coisas, e não pessoas. Exemplo: “Policiais são acusados de extorquir dinheiro do bando de Abadía”.

Observação: Fique atento à conjugação de extorquir, pois se trata de verbo defectivo. Isto é, ele só tem as formas em que ao encontro “qu-” se seguem as vogais E ou I. Logo, nada de "eu extorco" ou "ela extorca".



Obedecer


No português-padrão, “obedecer” rege objeto indireto: obedece-se a alguém ou a algo. Exemplo: “A distribuição dos outros componentes dos grupos obedecerá à seguinte ordem...”
Leia Mais ►

Ortografia


1. Onde x aonde

ONDE se usa com verbos que não são de movimento.


Por isso, “Onde cabem cinco, acomodam-se 20”, porque “caber” não é verbo de movimento.

Diferente é o caso de AONDE, que se usa com verbos de movimento que regem a preposição “a”.


Assim, “Sem o amor dos pais ele não teria condições de chegar aonde chegou”, pois “chegar” é verbo de movimento e quem chega chega a algum lugar.

2. Todo território nacional ou todo o território nacional?


TODO significa “qualquer”, “cada”.
TODO O significa “inteiro”.

Exemplo: “todo país” quer dizer “qualquer país”, e “todo o país” equivale a “o país inteiro”.
Leia Mais ►

Concordância verbal

Nenhum de


“Nenhuma das peças encontradas são do período holandês.”

Fica no singular o verbo cujo sujeito é formado por pronome indefinido singular + de + pronome ou nome plural (“algum de nós”, “nenhum de nós”, “cada um de vocês”, “qual das cidades”, “algum dentre vocês”, “nenhum dos candidatos”, “cada um dos agricultores”). Portanto, “Nenhuma das peças encontradas é do período holandês”.
Leia Mais ►

Ortografia


1. Mal x mau

MAL pode ser substituído por BEM: "Ele canta mal [bem]"; "Há pessoas que praticam o mal [o bem]"; "Não há mal [bem] que sempre dure".

MAU é substituível por BOM: "Foi expulso pelo mau [bom] comportamento na festa"; "Nada mau [bom] para uma empresa que nasceu de uma pequena peixaria no Pina"; "Empresas contratadas pelo Estado vêem como um mau [bom] sinal a decisão tomada pelo futuro governo..."

2. Lugar comum ou lugar-comum?


Quando é substantivo, significando fórmula, argumento ou ideia já muito conhecida e repisada, "lugar-comum" se escreve assim, com hífen. O plural é "lugares-comuns".

3. Escandalo ou escândalo?

A grafia certa é "escândalo", com acento, porque todas as palavras proparoxítonas são acentuadas.

4. Coalisão ou coalizão?

A forma certa é "coalizão", com Z.

5. Hora-extra ou hora extra?

O certo é "hora extra", sem hífen.
Leia Mais ►

Questões de Concordância

"As chuvas inesperadas, em pleno verão, provocou alagamentos nas principais vias..."


Segundo o excerto, o que é que provocou alagamentos nas principais vias? "As chuvas inesperadas."

Assim sendo, "As chuvas inesperadas, em pleno verão, provocaram alagamentos nas principais vias..."


Vendas recordes ou recorde?

Em função adjetiva, a palavra "recorde" não varia: "As montadoras preveem vendas recorde..."
Leia Mais ►

Crase


Não há crase no "a" que liga substantivos repetidos: "cara a cara", "face a face", "frente a frente".
Leia Mais ►

Concordância


"Perder e ganhar faz parte da democracia."

Está certa essa frase?


Fica no singular o verbo de um sujeito composto cujos núcleos são infinitivos. Assim sendo, "Andar e nadar faz bem à saúde"; "Fumar e beber prejudica a saúde"; "Ser paciente e respeitar o próximo fortalece a cidadania"; "Agredir jogadores e quebrar as dependências do clube só serve para agravar ainda mais a situação".



No entanto, o verbo da oração irá para o plural se esses núcleos estiverem acompanhados de determinantes (um artigo, por exemplo) ou se os infinitivos forem termos antônimos e, neste caso, sem a necessidade de determinantes.

Exemplos: "O amar e o sorrir são necessários"; "Amar e odiar são sentimentos muito fortes"; "Sorrir e Chorar fazem parte da vida"; "Perder e ganhar fazem parte da democracia".
Leia Mais ►

Grafia dos nomes científicos


Nomes científicos escrevem-se em itálico (ou em corpo diferente do texto) e com a primeira palavra com inicial maiúscula:

Mycobacterium fortuitum,

Staphylococcus aureus,

Helicobacter pylori.
Leia Mais ►

Questões de crase

1. “Fabiano deu comida à uma menina que passava na rua.”


Não há crase em “...à uma menina que passava na rua”, pois, nesse caso, "uma" é artigo.

Se "uma" é artigo, antes dele não há o artigo "a", pois não se usam dois artigos lado a lado – diz-se “uma mulher bonita”, e não “a uma mulher bonita”.

2. “Agora o seu café predileto vem com embalagem à vácuo.”

“Vácuo” é palavra masculina.

Por isso, não ocorre crase em “embalagem a vácuo”.

3. Para valer à pena ou a pena?

O certo é “para valer a pena”, sem crase, porque "valer" é transitivo direto: alguma coisa vale algo.

4. Qual o certo: “...dar sequência a investigação do acidente”, sem crase, ou “...dar sequência à investigação do acidente”, com crase?

Para encontrar a resposta, e só fazer o teste do “ao” – substituir a palavra “investigação” por uma masculina.

Se nessa substituição o “a” virar “ao”, significa que esse “a” é craseado.

Vamos ao teste: “...dar sequência ao exame do acidente”.

O “a” virou “ao”.

Logo, há crase no “a” que precede a palavra “investigação”: “dar seqüência à investigação do acidente”.
Leia Mais ►

Parecido não é igual


1. Tampar x tapar

"Tampar" é da família de "tampa" e de "tampo" e significa "fechar usando tampa ou tampo". Assim sendo, tampamos bueiros, garrafas, vasilhas, panelas... Quando fechamos sem usar tampa ou tampo, nós "tapamos".


Mas "tapar" também significa "tampar". Portanto, é correto dizer tapou o bueiro, a garrafa, a vasilha, a panela...

Conclusão: com "tapar" no sentido de fechar, vale tudo; com "tampar", só vale se houver tampa ou tampo.

2. Costa x costas

A parte de trás do tronco humano é chamada de “costas”.

Ou seja, é um substantivo que só se usa no plural.

Diferencia-se de “costa”, forma singular que significa “porção do mar próxima da terra”.
Leia Mais ►

Ortografia


1. Personal trainner ou trainer?

O certo é “personal trainer”, com um “N” na segunda palavra.

2. São Luiz ou São Luís?

Tratando-se da capital do Maranhão, o certo é “São Luís”, com “S” e acento no “I”.
Leia Mais ►

Acentuação

Há um costume de sempre se empregar uma vírgula depois da conjunção “mas”.
Para algumas pessoas, isso é automático: usou “mas”, vírgula!
“Aquela criança não para de correr.”
Falta algo nessa frase. É que a forma verbal “pára” tem acento no primeiro “a”, cuja finalidade é diferenciá-la da preposição “para”. O correto é escrever “Aquela criança não pára de correr”.
Leia Mais ►

Plural de “meia-irmã”

O plural do substantivo composto “meia-irmã” é “meias-irmãs”.

Portanto, variam as duas palavras que formam o composto.
Leia Mais ►

Questão de plural

As Farcs ou as Farc?


O certo é “as Farc”. Não se pluraliza essa sigla porque a locução representada por ela (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) já está no plural. É o mesmo caso da sigla “EUA”, que não é pluralizada porque representa um nome no plural (Estados Unidos da América).
Leia Mais ►

Questões de crase

1. Missa dedicada à Nossa Senhora ou a Nossa Senhora?

Para haver crase, é preciso que a palavra antecedente exija a preposição “a” e a subseqüente aceite o artigo “a”. Em virtude disso, não há crase antes de “Nossa Senhora”, uma vez que esse nome rejeita artigo. Constate: dizemos “a história de Nossa Senhora”, “confia em Nossa Senhora de Fátima”, “graça concedida por Nossa Senhora da Conceição”, e não “a história da Nossa Senhora”, “confia na Nossa Senhora de Fátima”, “graça concedida pela Nossa Senhora de Conceição”. Assim sendo, “Missa dedicada a Nossa Senhora”.

2. Toda

“Carlos dedicou sua formação à toda a área de direção.”

Nessa frase, o uso da crase está correto? Não. A palavra “toda” rejeita a anteposição de artigo (não dizemos “a toda nudez será castigada”, mas “toda nudez será castigada”) e, sem artigo, não há crase. Assim, “...dedicou sua formação a toda a área de direção”.
Leia Mais ►

Parecido não é igual

Parecido não é igual. Já escutou essa máxima? Ela é bem verdadeira, como veremos.

1. Por ora x por hora

POR ORA significa por enquanto, por agora: "Por ora, não acredito na queda dos juros"; "Por ora, não dispomos de policiais eficientes".

POR HORA é o mesmo que a cada sessenta minutos, pelo tempo de uma hora: "O aluguel da lancha é R$ 100 por hora"; "Passam naquela rodovia 10 mil carros por hora".

2. Emigrar x imigrar

EMIGRAR significa sair de um lugar para se fixar em outro: “Emigrou do Brasil para morar nos Estados Unidos”; “Emigrou do Japão, fixando-se em São Paulo”; “Estudos recentes indicam que 220 mil pessoas vão emigrar do Leste Europeu para os 15 países membros”.

IMIGRAR é entrar num país estranho para nele viver: “Milhões de italianos imigraram para o Brasil”.Isso dizem os dicionários. Na prática, a diferença é a seguinte: citando-se o lugar da saída, usa-se “emigrar” (“Emigrou do Brasil para os Estados Unidos”); citando-se tão-somente o destino, usa-se “imigrar” (“Milhões de italianos imigraram para o Brasil”).Mas, se você quer simplificar a sua vida, use “migrar”, que pode substituir tanto “emigrar” como “imigrar”.

3. Por ventura x porventura

Depende do sentido. Se significar por sorte, é “por ventura”, separado: “Por ventura minha, cheguei antes de a tempestade começar”. Se significar por acaso, é “porventura”, numa só palavra: “Porventura você viu minha caneta?”

4. Aterrisou ou aterrissou?

O verbo é “aterrissar”, com dois S. Logo, “O avião aterrissou no aeroporto”. Existe também a forma “aterrizar”, com Z. Esta, contudo, não tem a simpatia da norma culta, que prefere a primeira.

5. Ecosistema ou ecossistema?

O elemento “eco-” liga-se sem hífen à palavra seguinte, que terá a inicial dobrada se começar com R ou S. Assim, “ecociência”, “ecoesportes”, “ecorregião”, “ecossistema”.

6. Pirineus ou pireneus?

Escreve-se “Pireneus”. Ou seja, depois do R há E, e não I.
Leia Mais ►