Setembro 2008 - Português na Rede

A BAIXO ou ABAIXO?

Grafa-se “a baixo”, separado, em correlações com “de cima” ou “de alto”: “Olhou a moça de cima a baixo”; “Observou o candidato de alto a baixo”; “A cortina rasgou-se de cima a baixo”.

Nos demais casos, escreve-se “abaixo”, junto: “O muro veio abaixo”; “A força das águas levou a canoa rio abaixo”; “A oportunidade de se viabilizar um empreendimento gerador de emprego, renda e impostos foi por água abaixo”.


Compre o novo livro de Laércio Lutibergue AQUI.
Leia Mais ►

Eu não tenho NADA HAVER ou NADA A VER com o fato?

A expressão correta é “nada a ver”. 

Significa "ter relação".

Portanto, "Eu não tenho nada a ver com o fato".
Leia Mais ►

DAR ENTRADA NO PROCESSO ou AO PROCESSO?

No rigor da gramática, como a regência de "dar" é "dar algo a algo/alguém", o certo é “dar entrada ao processo”.
Leia Mais ►

Fazer nas coxas

Expressão que significa fazer sem cuidado, sem atenção, às pressas.

Há duas hipóteses que explicam sua origem:

1. Estaria ligada às relações sexuais apressadas em que o indivíduo chega ao orgasmo logo no início, às vezes, até "nas coxas".

2. Estaria ligada à época em que os escravos usavam as coxas para moldar o barro usado na fabricação de telhas. Como as medidas das coxas dos escravos variavam, as telhas tinham tamanho e formatos diferentes, resultando num produto mal-acabado.
Leia Mais ►

Nenhum dos candidatos merecem nosso voto ou Nenhum dos candidatos merece nosso voto?

Fica no singular o verbo cujo sujeito é formado por pronome indefinido no singular + de + pronome ou nome no plural ("algum de nós", "nenhum de nós", "cada um de vocês", "qual das cidades", "algum dentre vocês", "nenhum dos candidatos", "cada um dos agricultores").

Assim sendo, "Nenhum dos candidatos merece nosso voto".
Leia Mais ►

MANDATO x MANDADO

MANDATO significa representação, delegação, geralmente por voto popular: mandato de prefeito, de governador, do presidente da República.

MANDADO significa ordem judicial: mandado de prisão, mandado de apreensão, mandado de segurança.
Leia Mais ►

A inicial dos meses

Na língua portuguesa, nome de mês se escreve com inicial minúscula: 

Minhas férias serão em janeiro. 

Nasceu em março.

 A primavera começa em setembro.

Quando, porém, o nome de determinado mês fizer parte de um nome próprio, a inicial será maiúscula:

Rua 13 de Maio.

Edifício 7 de Setembro.

Avenida 29 de Março.
Leia Mais ►

PRODUZÍ-LO ou PRODUZI-LO?

Não se acentua o “i” tônico ligado a pronomes enclíticos quando ele forma sílaba com consoante: “consegui-lo”, “parti-la”, “produzi-lo”.


No entanto, o “i” será acentuado se for precedido de outra vogal em sílaba diferente, formando, assim, um hiato: “substituí-la”, “distribuí-lo”, “possuí-la”.
Leia Mais ►

A FREEZER ou O FREEZER?

“Freezer” é nome masculino.

Portanto, “Os freezers estão abarrotados de latinhas de cerveja”.
Leia Mais ►

Abolir

É verbo defectivo. Só existem as formas em que o ''L'' da raiz é seguido de ''e'' ou de ''i''.

“Eu abolo”, ''eu abulo'' e ''eu abula'' são, portanto, formas erradas.
Leia Mais ►

Dourar a pílula

Infelizmente, é muito comum hoje “dourar a pílula”, ou seja, levar uma pessoa a aceitar algo prejudicial por meio de palavras amáveis, lisonjeiras, ou de qualquer recurso hábil.

Essa expressão adveio de um costume que as farmácias de antigamente tinham, o de embrulhar as pílulas em papel dourado, uma estratégia para seduzir o cliente e tentar ocultar o sabor amargo da medicação.
Leia Mais ►

SEGMENTO ou SEGUIMENTO?

Se o sentido for o de parte, setor, é “segmento”: “os segmentos religiosos”, “os segmentos da sociedade”, “o segmento de eletrônicos”, “o segmento de lazer”.

“Seguimento”, com “-gui”, é da família de “seguir” e, por isso, significa “o ato ou efeito de seguir”: “Sua boa administração não teve seguimento”.
Leia Mais ►

Desemprego cai 10.5% ou 10,5%?

Na língua portuguesa, as casas dos números decimais são separadas por vírgula, e não por ponto. 

Portanto, "Desemprego cai 10,5%".
Leia Mais ►

PARADAS GAYS ou PARADAS GAY?

Em função adjetiva, as palavras inglesas não variam: comidas diet, cardápios light, voos charter, mulheres sexy, paradas gay.
Leia Mais ►

ENFARTE ou INFARTO?


Existem três formas corretas: "enfarte", "enfarto" e “infarto”.

A melhor, dizem os médicos e a gramática, é "infarto".
Leia Mais ►

Candidatos de todas as matizes ou de todos os matizes?

“Matiz” é palavra masculina. Portanto, "Candidatos de todos os matizes".
Leia Mais ►

Baderna

Em 1851 uma bailarina italiana chamada Marietta Baderna (1828-1870) se apresentou no Brasil, obtendo muito sucesso entre os homens.


Seu comportamento muito liberal para a época escandalizou a sociedade.

E fez com que o sobrenome Baderna adquirisse o sentido de confusão e bagunça que tem até hoje.
Leia Mais ►

VOÇÊ ou VOCÊ?

Antes de "e" e de "i" não se usa cê-cedilha.

Por isso, o correto é “você”.
Leia Mais ►

MAIZENA ou MAISENA?

Na língua portuguesa, depois de ditongo se escreve "s", e não "z": "coisa", "faisão", "lousa".


Por isso, o certo é "maisena", com "s".


"Maizena", com "z", é o nome de uma marca e, portanto, só deve ser grafado com inicial maiúscula e quando se fizer referência a essa marca.
Leia Mais ►

HOJE SÃO DIA 18 ou HOJE É DIA 18?

Quando se trata de concordância com datas, o verbo “ser” concorda com o numeral ou com a palavra “dia”, que pode estar expressa ou subentendida:

Hoje são 18 de junho.
Hoje é [dia] 18 de junho.
Hoje é dia 18 de junho.

Atenção! Se a palavra “dia” estiver expressa, a concordância será feita obrigatoriamente com ela. 

Veja:


CERTO – Hoje é dia 18 de junho.
ERRADO – Hoje são dia 18 de junho.
Leia Mais ►

Inês é morta

A expressão "Inês é morta" refere-se a algo que, por ser feito tardiamente, é inútil.

A "Inês" de que fala a expressão viveu em Portugal de 1320 a 1355 e foi personagem de Os lusíadas, de Luís Vaz de Camões.

Ela teve um romance com o príncipe dom Pedro.

A mando do pai de dom Pedro, dom Afonso IV, Inês de Castro foi decapitada.

Ao se tornar o oitavo rei de Portugal, dom Pedro se vingou dos três executores do assassinato de Inês de Castro, ordenando que se lhes arrancasse o coração deles.

E concedeu à amante o título de rainha.

Mas era tarde.

Inês estava morta.
Leia Mais ►

REGÊNCIA: PRECISAMOS FOCAR NO CONSUMIDOR ou O CONSUMIDOR?

O verbo “focar” é transitivo direto. Assim sendo, "Precisamos focar o consumidor".
Leia Mais ►