Junho 2012 - Português na Rede

Cingapura ou Singapura?

As duas formas estão corretas.

Há, porém, um aspecto a ser observado.

No Brasil, prefere-se "Cingapura".

Em Portugal, "Singapura".

Logo, os brasileiros devem grafar "Cingapura", com "c".
E os portugueses, "Singapura", com "s".
Leia Mais ►

CRASE: ELE VENDEU A VISTA ou À VISTA?

A locução é “à vista”, com o acento de crase no “a” inicial.


Trata-se de um acento de clareza, necessário para evitar casos de ambiguidade.


Um exemplo da necessidade desse acento ocorre em “Ele vendeu a vista”.


Assim, sem acento de crase, pode-se entender que a pessoa comercializou o órgão responsável pela visão.


Para evitar essa interpretação, escreve-se “Ele vendeu à vista”, e a ambiguidade está desfeita.



Leia Mais ►

Déficit ou deficit?

Segundo a quinta e mais atual edição (2009) do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp) da Academia Brasileira de Letras (ABL), escreve-se “deficit” e “superavit”, sem acento.

Portanto, hoje, a ortografia oficial (leia-se Volp) não legitima as grafias “déficit” e “superávit”, com acento, apesar de ainda constarem em alguns dicionários.

Convém observar que o Vocabulário Ortográfico da ABL classifica “deficit” e “superavit” como substantivos de dois números. Logo, essas palavras não variam no plural: o deficit, os deficit; o superavit, os superavit.


Leia Mais ►